Ai metro metro...

19 de julho de 2017

Quem não mora em Lisboa ou mora mas não frequenta o metro como é o meu caso que o uso diariamente para ir trabalhar, não faz ideia do suplício que é todos os dias em que não sei se entro à primeira ou se tenho que esperar pela próxima para caber lá dentro!
A minha linha é a verde e só tem 3 carruagens, ora, há muita gente a usar metro e depois temos os turistas, por isso sardinha em lata é sempre o meu pequeno-almoço, deveras agradável...

Mas calma que finalmente o pesadelo terminou, as obras começaram hoje na estação de Arroios que era o grande empata de toda esta a situação, pois a estação não permitia ter acesso a mais de 3 carruagens por ser uma estação curta, por isso enquanto vão estar fechados para obras, vamos passar a ter 6 carruagens!! E meus caros, que diferença... hoje a história foi mesmo outra. Assim os 60€ mensais apesar de ainda doerem um bocadinho já não me sinto tão defraudada.

Obrigada.

Crescem corações no "meu jardim"

5 de julho de 2017

Adoro esta coisa mágica que é darem-me um pézinho de uma planta / aromática / flôr e pegar que nem gente grande nos meus vasos. Já trouxe "pézinhos" das plantas da mãe, da avó, da tia, da sogra e recentemente da minha querida Eva.
Foi no início do ano que fui à Póvoa por um motivo bastante especial e que a Eva me ofereceu um pézinho de "amor-a-metro", sim, leram bem, existe amor-a-metro numa planta onde cada folha é nada mais nada menos do que um coração! Não é incrível? Mais incrível ainda é o que ela cresceu desde então, está mesmo enorme e os corações são mesmo densos, toda uma chuva amorosa.

Conheciam?
Viva as plantas, viva o amor!

P.S. Não tenho prooopriamente um jardim, tenho uma varanda cheia de vasos pronto! :D

#aminhagatapantone

13 de junho de 2017

O meu instagram tem amor, momentos, espaços e muito Pantone, a minha gata Pantone.


P o r t u g a l

14 de maio de 2017

Desde miúda que os meus pais fizeram questão de me mostrar Portugal. Tive oportunidade de ir a uns quantos cantos, coisa que aliás ainda hoje acontece, pois ainda há tanto para conhecer... Desejo inclusive um dia poder correr o país de cima abaixo de mochila às costas durante uma temporada, coisa que sempre foi vista com maus olhos quando podia ir fazer isso lá para fora. Também já tive oportunidade de ir a alguns países e nunca venho de lá a achar que são melhores que nós, simplesmente é outra coisa, é diferente e bom ou mau na mesma.
Uma coisa que lamento é quando nós, os próprios portugueses nos intitulamos de inferiores, parolos, pequeninos e sei lá mais o quê, quando não o somos de todo. Só demonstra ignorância e sem conhecimento de causa... É o tal fado porque somos conhecidos e pelos vistos com razão. Também não percebo as guerras regionais e de sotaques quando na verdade é o que nos torna mais ricos e nos enche de personalidade.

Tudo isto para dizer que não estamos melhores agora, na verdade, a nossa história sempre aqui esteve, a nossa língua que é tão completa e que tanta gente quer aprender, a boa comida e bebida também, assim como os produtos regionais, as paisagens, a música, a arte, a literatura, a arquitectura, a cultura, etc... A única diferença aqui é que ninguém nos conhecia e agora conhece e foi preciso virem de lá de fora dizerem-nos que somos incríveis para acreditarmos realmente nisso. Basta ver a quantidade de turistas que me cruzo diariamente com um ar maravilhado com este tesouro que tínhamos aqui guardado sem darmos valor.

Falo no geral, mas a verdade é que nunca me identifiquei com esta forma de pensar, aliás, já tive uma série de "discussões" por causa desta temática. E irei continuar a ter, mas que se lixe! Assim como nunca desejei ir viver para fora, só se um dia tiver mesmo que ser, claro.

O que aconteceu ontem foi mais uma conquista e de nome Salvador, no mínimo irónico. Less is more e o que aconteceu ontem foi a prova disso. Quando somos simples e diferentes somos MUITO criticados mas é essa diferença que nos faz destacar e conquistar. Não podíamos ter sido melhor representados e o que importa aqui foi a mensagem que se passou, não só a conquista do 1º lugar que tanto nos orgulha.

Vamos acreditar um bocadinho mais a nós? Bora!!

Vinte e nove.

10 de maio de 2017

Ontem foi um dia especial, e apesar de ser sempre uma surpresa quando digo a minha idade, a verdade é que começa hoje o meu último ano "na casa dos vinte". Não sou a única a pensar que quando éramos miúdos considerávamos os trintões pessoas já avançadas na idade pois não? Pois, a verdade é que não é só aparência, eu sinto-me mesmo uma miúda, não há cá pressas!

É inevitável reflectir no dia do nosso aniversário, e concluo que estou verdadeiramente feliz pelas pessoas que tenho comigo, pelas conquistas que fiz ao longo destes anos e pelas decisões que tenho vindo a tomar na minha vida. Claro que já tomei umas melhores que outras, claro que já tive momentos menos bons, mas hoje, no meu 1º dia com 29 anos, sinto que as coisas estão no caminho certo.

Agradeço de coração todo o carinho que tive e tenho vindo a ter por parte da família, amigos, colegas e lojas que me dão uma série de descontos neste dia :D

A vocês que me lêem, obrigada por existirem, venha de lá esse ano!

O Festival e o Salvador.

11 de abril de 2017



Ainda não falei deste assunto aqui, mas devo desde já dizer que fiquei rendida à canção mal começou a ser cantada e interpretada daquela forma tão particular pelo Salvado e tão bem escrita pela sua irmã Luísa. É um par de irmãos que acompanho desde os Ídolos, não sei o que é que os pais lhes deram em miúdos mas o que é facto é que são os 2 muito interessantes e estranhos e eu gosto muito disso.

Em relação ao festival em si, gostei do facto de terem inovado não só com quem convidaram mas também a nível visual, graficamente falando. No fim, não podia ter terminado melhor, com estes irmãos tão genuínos a representar-nos.

Dia 9 é o dia, será o 9º a cantar e curiosamente faço anos também!

Alike

31 de março de 2017


Alike short film from Pepe School Land on Vimeo.


O meu irmão devia ter uns 6/7 anos de idade, e na escola pediram para fazer um desenho livre, ao qual ele resolveu desenhar uma árvore com folhas e frutas a falar umas com as outras. Após esse episódio, a professora chamou os meus pais à escola para lhes dizer que o meu irmão tinha "um problema" ao achar normal termos frutas e folhas a falar umas com as outras...

Quando vi esta curta, lembrei-me imediatamente desta história que por incrível que possa parecer, aconteceu mesmo!

Esta curta, produzida e dirigida por Daniel Martínez Lara é incrível, inspiradora e traz com ela uma boa lição de vida, literalmente.

Vidago Palace

28 de março de 2017



Vai começar dia 30 de Março, já esta quinta-feira na RTP1 uma nova série, e chama-se Vidago Palace. Trata-se de uma série de época passada no verão de 1936, mais concretamente entre os dias 1 e 15 de Agosto em Vidago, pois claro.

Esta série ainda não começou e já me diz muito, tendo em conta que é passada num sítio que conheço tão bem, mesmo ao lado da minha cidade, Chaves. Tenho muitas memórias deste espaço, das idas em família para os jardins do hotel num domingo à tarde, inclusive das fotografias tiradas no casamento dos meus tios! A série tem também a particularidade de ser a primeira coprodução luso-galaica, vamos ter portanto personagens galegas que é algo que também me é bastante familiar.

Já agora fica também a sugestão para um dia destes rumarem a norte para visitar esta zona que é tão bonita.

Tomei uma decisão,

25 de março de 2017

e já tem uns bons meses, mas pouca gente sabe.
Deixei de comer carne, fui deixando aos poucos... vitela já não como há anos, porco foi de seguida e depois de consumir muito frango e peru, parei de vez. Se sinto falta? Não... nada mesmo.
Por vezes ainda como peixe, mas só fora de casa, quando vou a um jantar de amigos ou a casa de alguém, pois nem sempre há refeições vegetarianas, apesar de já haver imensos sítios em que há e também não quero obrigar ninguém a fazer o que a menina gosta. Se houver sopa, já estou bem!

Nunca tive animais nem convivi de perto, até que há 3 anos tive a Pantone, uma gata. Com ela criei uma relação que nunca me passou pela cabeça criar. Tornou-se um elemento da família e é como se fosse uma filha para mim. Passei a ver os animais de outra forma, não consigo passar por um na rua sem lhe fazer uma festinha ou dizer um "olá", dedicar-lhe uns minutos. Passei a informar-me mais sobre o vegetarianismo e a ver coisas que não quis ver mas que precisamos de ver. Passei a ser um bocado chata mas é a realidade, tenham paciência. Passei a não conseguir comê-los... Para além do factor sentimental, temos o ético, o ecológico e a saúde que pasmem-se, nunca estive tão bem.

Não posso nem pretendo obrigar as pessoas a deixar de comer carne. Mas posso sugerir que se informem um bocado sobre o assunto e vejam de onde vem a carne que comem e em que condições. Somos civilizados, não faz sentido tapar os olhos à realidade e viver como se nada fosse. Experimentem um dia por semana sem carne! Deixo em baixo uns blogs que gosto de visitar e de onde tiro ideias para refeições:

// Gabriela Oliveira
// Alho Francês
// Love Eat
// Made by Choices
// The Love Food
// Lemonaid
// Le Passe Vite
// Compassionate Cuisine

Pronto, agora sabem um bocadinho mais de mim. Boas receitas!

Obrigada internet.

17 de março de 2017

Depois deste episódio, o GIF!

by: paperbeatsscissors